Liliana Lavoratti

Liliana LavorattiLiliana Enriqueta Lavoratti nasceu dia 4 de março de 1960, em Alto Paraná, no Paraná. Aos 18 anos, procurava emprego na cidade de Cascavel, quando soube que o jornal O Paraná estava selecionando estagiários. Candidatou-­se, foi aprovada e só seis anos mais tarde foi cursar Jornalismo na Faculdade de Meios de Comunicação (FAMECO) da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) . Enquanto estudava, realizou um trabalho de comunicação popular e sindical, em especial junto ao sindicatos de trabalhadores rurais e urbanos interessados em melhorar suas ferramentas de comunicação junto às bases e à sociedade em geral, para melhor comunicar suas propostas. Na época, fez parte da equipe do Jornal do Movimento dos Sem Terra. Trabalhou na Folha de Londrina, onde conquistou o Prêmio Paraná de Jornalismo com a matéria A fuga dos Sem Terra, em 1983. Foi para Curitiba, onde trabalhou como repórter na sucursal do jornal O Estado de S.Paulo e a seguir no Jornal Indústria e Comércio, onde definiu seu interesse pela área de economia e negócios. Mudou-­se para Brasília, onde atuou como repórter especial de Economia nos jornais Folha de S.Paulo e Gazeta Mercantil e como repórter especial de Economia e Política no jornal O Estado de S.Paulo. Em Brasília, foi também diretora de atendimento na FSB Comunicações e trabalhou na assessoria de imprensa da então ministra do Turismo Marta Suplicy. Em São Paulo, fez trabalhos independentes como assessora de imprensa. Editou a revista Conjuntura Econômica, da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro, onde publicou a matéria Marco Regulatório do Pré­-Sal­ Debate salgado, que lhe rendeu dois prêmios: da ONIP­Organização Nacional da Indústria do Petróleo e da Case New Holland ­CNH­de Jornalismo Econômico. Foi finalista do 13o Prêmio Imprensa Embratel com a matéria Convergência Tecnológica­ Tendências das Telecomunicações no Brasil, publicada na revista Conjuntura Econômica/ 2011. Já lecionou Jornalismo Econômico na Fundação Cásper Líbero, em São Paulo, e na Universidade de Brasília (UNB). No jornal Diário Comércio e Indústria, onde é editora­chefe, além de economia e finanças, trata também de política e sustentabilidade na coluna que assina diariamente. Nos últimos anos, vem fazendo formação em Psicanálise.

Imagem e Conteúdo